fbpx

Portugal 2030 – o que devemos de esperar do novo programa?

O Portugal 2030 é um ciclo de programação de fundos europeus, à semelhança do Portugal 2020 que tem com objetivo o apoio às empresas e administração central e local. Portugal irá receber um montante semelhante ao Portugal 2020 que deverá rondar os 24 mil milhões de euros que deverá executar até ao final do programa (no âmbito do Portugal 2020, o apoio rondou os 25 mil milhões de euros).

Este apoio está divido em oito eixos de aplicação, sendo estes: Inovação e conhecimento, qualificação, formação e emprego, sustentabilidade demográfica, energia e alterações climáticas, economia do mar, competitividade e coesão dos territórios litorais e do interior, e por fim, agricultura e florestas, sendo estes referentes a:

  1. Inovação e Conhecimento

Assegurar as condições de competitividade empresarial e o desenvolvimento da base científica e tecnológica nacional para uma estratégia sustentada na inovação

  1. Qualificação, Formação e Emprego

Assegurar a disponibilidade de recursos humanos com as qualificações necessárias ao processo de desenvolvimento e transformação económica e social nacional, assegurando a sustentabilidade do emprego

  1. Sustentabilidade demográfica

Travar o envelhecimento populacional e assegurar a sustentabilidade demográfica, assegurando simultaneamente a provisão e bens e serviços adequados a uma população envelhecida

  1. Energia e alterações climáticas

Assegurar as condições para a diminuição da dependência energética e de adaptação dos territórios às alterações climáticas, garantindo a gestão dos riscos associados

  1. Economia do mar

Reforçar o potencial económico estratégico da Economia do Mar, assegurando a sustentabilidade ambiental e dos recursos marinhos

  1. Redes e Mercados Externos

Assegurar a competitividade externa das cidades e regiões urbanas dos territórios atlânticos e dos territórios do interior

  1. Competitividade e coesão dos territórios de baixa densidade

Reforçar a competitividade dos territórios da baixa densidade em torno de cidades médias, potenciando a exploração sustentável dos recursos endógenos e o desenvolvimento rural, diversificando a base económica para promover a sua convergência e garantindo a prestação de serviços públicos

  1. Agricultura/florestas

Promover um desenvolvimento agrícola competitivo com a valorização do regadio, a par de uma aposta estratégica reforçada na reforma florestal

Se pretender obter mais informações ou se tiver alguma questão adicional, entre em contacto connosco, a nossa equipa de consultores especializados pode ajudá-lo.

Fonte: https://www.portugal.gov.pt/

Deixe uma resposta